Propor relacionamento liberal é a melhor solução para quem “quer trair”?

165

Leitora: Namoro há 7 anos e estamos muito bem. Ele é meu parceiro pra vida. Porém, eu não entendo muito essa ideia de exclusividade e possessividade. Ele não é ciumento, mas não tenho certeza se ele não se importa ou se apenas confia demais em mim. Já falamos sobre isso mas ele não é tão liberal quanto eu; quando falamos ele diz que sou tonta, ou brinca. Ano passado ele fez intercâmbio por 6 meses e foi tranquilo (as dificuldades normais, mas eu não tive amante, e se ele teve não desconfio). Este ano eu que estou em intercâmbio, e acabei me evolvendo com um outro intercambista (do Afeganistão) que foi me ganhando (ele sabe que namoro, ele é casado e tem filhos pequenos no país dele – mas a cultura é diferente, o casamento foi arranjado), eu gosto dele, mas não trocaria pelo meu namorado (mesmo se estivéssemos no Brasil). Não quero continuar a relação tendo que esconder esse tipo de coisa, quero ser totalmente aberta com meu namorado, e gostaria que pudéssemos ser parceiros na vida e no amor, mas podendo curtir outras pessoas ocasionalmente também. Não sei se ele iria aceitar e tenho medo de abrir totalmente o jogo, pois eu não quero perder o que temos.

Propor relacionamento liberal é a melhor solução para quem "quer trair"?

Complicado… Vamos por partes, pra ver se descomplica:

Primeiro, será que você é mesmo tãooooooooooooooo liberal assim quanto diz, ou só tá assim por conveniência momentânea de querer se pegar com outro cara? Será que você realmente “não entende sobre ciúmes e possessão” porque tem o pensamento livre, ou porque namora alguém que no fundo você sabe que não te traria problemas? Pense a respeito. É claro que você pode ser liberal de verdade, mas às vezes, você pode estar querendo ser “prática” ao usar a poligamia como “forma rápida de poder pegar dois honestamente” e acaba dando um tiro no pé.

Agora imagine que seu namorado se acostume, e até mesmo goste da ideia e entre na mesma situação que a sua: tá ele lá, com uma gatinha, rindo, papeando, tomando umas brejas e pá! Se você liga, nem daria tempo de te atender, porque, né?!

Imaginou? Agora responda:

Você realmente ficaria numa boa, ou teria medo de perder seu posto?

Parece idiota o que tô falando, mas é uma coisa muito séria: vejo que muita gente quer pegar por fora, mas pula a parte de que o outro também pode fazer o mesmo. E aí, quem pode se dar mal é você! Uma coisa é você querer pegar dois, normal, muita gente quer. Outra coisa completamente diferente é partir pra prática e ser realmente capaz de manter um relacionamento assim.

Acredito que pra manter essa banca toda é necessário não só muita confiança no outro, como em você mesma. Do contrário, você simplesmente surtará!! Você encontrando com seu moço, ok, “você é poligâmica e o namorado tem que aceitar”. Agora deixe ele sair com a Joana e chegar tarde pra ver kkkkkkk. Será que você não surtaria como 90% das mulheres fariam, ou é realmente uma raridade? E vocês vão conversar sobre DST e responsabilidade física? Tô perguntando sem ironias. Entendo que você pode ser assim mesmo, mas minha tarefa aqui é te ajudar a pensar.

Um caso interessante que rolou pela vida e que fiquei sabendo é de um casal que foi fazer sexo a três. Ok, acho que você não pretende chegar a tal ponto, rs, mas mesmo assim, acho a lição interessante! Esse casal pensava que fosse moderno e tudo mais. Porém, depois que o lance partiu pro real, minha amiga, não foi um só não, foram OS DOIS que ficaram inseguros!! Cada um por seus motivos, até que pararam na terapia, e por fim, parece que o casamento finalmente afundou de vez. Não quero te assustar, mas quero te alertar. Afinal de contas, os prós, pelo visto você já sabe e se animou, agora to falando dos contras, rs.

Outro caso que conheço, dessa vez com uma amiga, é dela com o namorado: ambos morriam de orgulho de serem totalmente liberais, até que, pra resumir a história, no fim ficou claro que eles só eram assim principalmente porque o cara não gostava o suficiente dela. Até que um dia ambos se apaixonaram de verdade e fizeram o quê? Fecharam tudo! Inclusive são casados e quadradinhos hoje em dia, rs.

Existe casal diferente deles e que dura na “variedade” há anos? Existe! Mas quero que você entenda que a poligamia pode até estar “no nosso DNA”, por questões instintivas, animalescas, etc, mas por questões práticas e até mesmo pra manter a saúde mental, nem sempre ela é viável. No fim, a fidelidade acaba sendo uma questão de escolha, apesar de todas as tentações – e a poligamia é pra quem tem estômago.

Se analise, o analise também. Se no fim você achar que rola, mãos à obra e claro, conte! Se ele vai aceitar ou não, aí já fica como a parte dele.

Boa sorte!

Instagram
Share.

About Author

Luiza Costa

Brasiliense morando em Curitiba. Escritora, blogueira, youtuber. Espero te encontrar todos os dias nas redes sociais pra que possamos debater os mais variados temas e crescermos juntos.