Duas mulheres e um drama: Tenho sentimentos por ele, mas não sou correspondida da forma que gostaria.

15

As duas perguntas abaixo relacionadas possuem em sua essência as mesmas questões, por isso, a cintada serve pra dois lombos. Leiam e sigam-me os bons!

*************************

LEITORA 1

Era apaixonada por um homem, vamos chamar ele de (L), amei ele por 4 anos, era só sexo e sexo, mas existiu sentimento em ambas as partes só que ele tava na fase de vestibular e ele não sabia conciliar as coisas, aí decidimos parar até de se ver. Foi aí que eu conheci meu namorado de hoje, vivo com ele há quase 1 ano e aí o “L” sumiu, desapareceu da minha vida e agora nesse último mês, ocorreu varias coincidências com esse L, teve um dia que tava tendo uma briga horrível com meu namorado e aí L me ligou sem querer, primeira coincidência. Segunda coincidência: vi a família dele no shopping e por fim vi ele na padaria, um dia seguido do outro e agora estou confusa demais, n sei o q fazer … estou brigando muito com meu namorado, vou me mudar tb para mesma cidade do meu L, o q faço?

LEITORA 2

Bem, a história é a seguinte… Namorei uma pessoa por 6 meses, meu segundo namorado. Eu tenho 33 e ele 34 anos. Não deu certo por falta de compatibilidade, ele tinha certas opiniões que iam contra o que eu pensava e discutíamos muito. Fora que havia sido casado e, como o término era recente, ele sempre falava da ex-mulher pra mim e aquilo me incomodava. Por fim, num comum acordo, nós terminamos. Eu sofri durante um tempo, pois ainda tinha sentimentos por ele e ele rapidamente arrumou outra pessoa com quem está até hoje, há 1 ano mais ou menos.

Até aí tudo bem…

De vez em quando recebo mensagens dele dizendo que sente falta, que sonha comigo, que tem boas lembranças e fica me pedindo fotos e quer que eu o dê “SEXO pelo WhatsApp”, é isso mesmo! Vê se pode!! … para saciar suas carências.

Eu já dei vários foras nele e disse que se ele quiser saber como estou, tudo bem, fora isso, que não me mandasse mais nada, que sumisse da minha vida.

Ele some e aparece quando bem entender…isso me deixa muito mexida, porque ainda gosto desse bendito, mas sei que ele quer me usar. Ele mora distante da namorada e quer que eu seja um “brinquedinho” pra ele. Gostaria de saber o que vocês acham…

Estou confusa… às vezes me sinto iludida como uma criança… quero tentar esquecer e, quando acho que isso vai passar…ele aparece… mal fala sobre ele ou sobre mim, se ambos estão bem ou não, mas sim que morre de tesão e que precisa de mim naquele momento, que pensa em mim toda hora, que tem muitos sonhos. Me sinto um objeto e, sempre que ele faz isso, o xingo e choro, digo que não sou um objeto, que tenho sentimentos e que não mereço isso, mas… o fantasma reaparece de vez em nunca, quando menos espero.

 

Manas, parem de fazer birra e de posar de crianças iludidas.

Eu li os dois relatos em oportunidades diferentes e achei ambos bizarros em relação às suas perspectivas amorosas e ao subtexto de mocinhas ingênuas, confusas e perdidas.

Sendo assim, gostaria que vocês duas, e todos os leitores do site que estão na mesma situação, lessem a resposta como um choque de realidade.

Acredito que as suas amigas já disseram para superar esse cara, que ele não vale nada, não presta, que vocês só foram o lanche guardado para mais tarde e que seria burrice se caísse na lábia dele DE NOVO.

Mas, apesar de todos conseguirem enxergar o óbvio, a vontade de ser a nova mocinha da novela das oito que sofre várias reviravoltas no amor soa mais alto; aquela história de contos de fadas, onde o amor prevalece e vocês vivem felizes para sempre é muito mais tentador que a dura realidade.

Estou errada?

Contudo, me pareceu que vocês estão loucas pra ouvirem: para de ser boba, a vida é uma só, cai de boca, aproveite o momento, insista que um dia ele será seu, MAS BABY, VOCÊS VIERAM PRO SITE ERRADO.

Notem que a diferença de idade das leitoras em nada interferiu nas problemáticas, portanto, ter 20 ou 30 anos não muda o fato que a falta de experiências amorosas atrapalha e muito na tomada de decisões.

Assim sendo, apesar de uma leitora estar na faixa dos vinte e poucos anos e a outra ser balzaquiana como eu, ambas estão apenas no segundo relacionamento, e eu super entendo a imaturidade emocional e falta de traquejo ao lidar com homens. Em vários aspectos da vida você é resolvidona, mas quando se trata de relacionamentos, é uma criança da quinta série.

Eu mesma passo por perrengues diariamente por não saber lidar com o meu relacionamento conjugal, afinal, meu marido foi meu primeiro namorado, então eu sei bem o que vocês falam quando se dizem confusas, aflitas e sem saber como lidar com tantos sentimentos e tanta confusão que um homem causa. Quero dizer que, às vezes, gostaria de ter tido outros relacionamentos pra saber lidar com os problemas que vão surgindo, ter tido outras experiências e mais maturidade.

Enfim, temos que lidar com o agora, e agora vocês estão meio que sem saber o que fazer e acreditando que esses homens são a última bolacha do pacote e sofrendo por besteira.

Então leitoras, estou disposta a lhes dar duas ajudas, a superar de vez esses homens e a quinta série que reside dentro de vocês.

Dica 1: Opinião de cu é rola

Geralmente as brigas acontecem por opiniões diferentes e jeito de agir diverso do que queríamos. O ponto de interesse é descobrir se o que queremos realmente serve pro outro. Nem sempre o que acho certo é certo para outra pessoa, aí cabe a mim tirar o time de campo, deixar a minha opinião clara e respeitar o espaço alheio.

Quanto a opiniões, acredito que o livre diálogo deve acontecer de forma aberta, sincera e respeitosa. Nem sempre vocês irão concordar com tudo, mas quando não concordarem, saibam divergir sem brigar ou partir pra ofensas.

Tal como a leitora balzaquiana que disse ter terminado um relacionamento motivada pelas opiniões do namorado. Queria saber no que vocês divergiam, mas tenho a impressão que foram por motivos toscos. Tire do término uma lição. Opinião de cu é rola.

Tenha seus pontos de vista, suas opiniões e saiba ouvir e respeitar os outros.

A leitora novinha está brigando pra caralho com o namorado, mas não diz os motivos. Porém, acredito que seja por que o namorado atual não é o L e ela gostaria que fosse, assim está descontando toda a frustração no coitado.

Dica 2: Falar é uma arte, mas ouvir é uma dádiva.

Jamais converse com alguém estando com raiva, com fome, bêbada ou triste, sempre dá merda.

Leitora novinha, deu pra perceber de forma nítida que seu atual namorado é só um tapa-buracos. Ele supriu a falta que o L deixou, mas seus sentimentos por ele não foram fortes o suficiente para fazê-la esquecer do L, então não é justo fazê-lo perder tempo contigo.

Ouça seu coração, descubra se é com ele que quer estar. Converse numa boa e exponha seus sentimentos, afinal, um namorado deveria ser também um bom amigo.

Leitora Balzaquiana, não sei por que seu ex ainda está liberado no seu celular. Exclua esse bostão fia, tá esperando o quê? Já pensou se numa recaída ou num dia de bebedeira você se expõe e acaba cedendo aos pedidos dele?

Já pensou se seus nudes vazam? Pra quê ficar passando nervoso e dizendo que não é um objeto se um simples block resolveria? Tá sofrendo à toa…

Dica 3: Aceitem a realidade

Nos dois casos eles não gostam de vocês, simples e sem delongas. Aceitem isso e façam a fila andar em definitivo.

Quem quer dá um jeito, corre atrás, se esforça e faz acontecer. Eles não quiseram. SIGAM EM FRENTE!

Dica 4: Ninguém morre por amar

Tirando as histórias de contos de fadas (Romeu e Julieta) e todas as pessoas desiquilibradas que se matam por “amor”, isso não existe no mundo real. No mundo real, as pessoas sofrem um tempo, mas superam.

Nos dois casos não era, não foi, não será AMOR. Sabe o que aconteceu? EGO FERIDO.

O L deu um pé no seu rabo pra estudar e a balzaquiana entrou num “comum acordo” que ela meio que discorda. Superem isso.

Quando temos o nosso ego ferido, tudo dá errado. Curem o coraçãozinho de vocês e aceitem que o L nunca te amou e o pedidor de nudes nunca vai comer um caminhão de bosta por você, só quer mesmo dar uma, receber umas fotos picantes e tê-la a disposição e, pior, você sabe disso.

Dica 5: Sentimentos podem ser mudados

Se até as pedras são moldadas pelas águas, por que vocês haveriam de jamais superar os sentimentos que dizem ter?

Redirecionem o pensamento de vocês e todas as vezes que pensarem nos falecidos, forcem o cérebro de vocês a ser direcionado para as coisas ruins que eles fizeram, as vezes que lhe deram toco, as vezes que lhes magoaram.

Temos uma tendência ruim de mistificar pessoas. Vejam só: crianças, idosos e gente morta são os melhores seres humanos, mesmo não o sendo. Principalmente as pessoas que já morreram só são lembradas pelas coisas boas e as coisas ruins que fizeram deixam de existir.

Acontece o mesmo com relacionamentos mal resolvidos. Quero dizer: PAREM DE LEMBRAR SÓ DE COISA BOA e lembrem-se que eles não foram legais, não quiseram nada sério e depois agiram pior ainda.

Toda vez que pensarem “poxa, mas o sexo era tão bom, nós éramos tão envolvidos, era tão quente e intenso”, mudem o pensamento para “não era tão bom, me satisfaço melhor sozinha e existem milhões de pintos por aí que dão menos trabalho”.

Dica 6: Jamais mande nudes

Isso mesmo, jamais mande nudes.

Dica 7: Admita que você é viciada em drama

Tem muita gente, assim como eu, que ama viver na calmaria, no sossego de espírito e em dormir tranquilamente sem ficar paranoica com o que o outro está aprontando enquanto está longe dos meus olhos.

Contudo, tem também muita gente que adora uma adrenalina, um rolo, um relacionamento para se debruçar e falar sobre o quão complicado é.

Vocês duas estão cultivando na hortaliça os Ex para manter o drama vivo, afinal, um bloqueio resolveria os dois problemas, mas não, as diferentonas tão gostando mesmo é de problema.

Vão estudar matemática que ganham mais. Admitam que gostam do drama e tentem resolver isso de forma pragmática, pois isso faz mal e não tá deixando vocês viverem uma vida plena ao lado de outro alguém.

Dica 8: Admita que você quer sair por cima

Não basta dizer “foi em comum acordo”, vocês têm que acreditar nisso, pois quando li “decidimos isso ou aquilo”, na real vocês estavam dizendo que engoliram a decisão deles.

Estava querendo o quê? Que o L largasse os estudos, que voltasse implorando para você largar o atual? Ou que o pedidor de nudes comesse um caminhão de cocô por você?

Toda vez que o L ou o pedidor de nudes entra em contato, o ego de vocês infla. Mas tá inflando errado o negócio.

Leitora novinha: deixe o L ver que você está feliz sem ele e seja feliz sem ele.

Leitora balzaquiana: bloqueie o ex de todas as redes sociais e siga a sua vida com alguém que lhe queira OU se vingue. Tire prints da conversa e alerte a atual namorada, sabendo que você corre o risco de ser a ex vingativa que ainda gosta dele.

Dica de ouro: Ou caga ou sai da moita

Quem fica em cima de muro é gato malandro e caco de vidro. Portanto, decidam a vida que querem ter, pois toda essa indecisão me deu gases.

Não consegue esquecer o L e vai mudar pra cidade dele? Fia, larga o namorado e corre atrás, não faz mal ser idiota iludida algumas vezes na vida, mas esteja em paz ao pensar que tentou. OU larga mão e siga em frente.

No seu caso eu ficaria sozinha por um tempo até estar pronta de verdade para namorar.

Quanto a você, leitora balzaquiana, você não tá meio velha pra tanto mimimi adolescente? Tá querendo dar, ser objeto e lanche? Vai lá, bota a cara e assume os riscos. Se não estiver disposta a isso, pare de manter contato com ele. Bloqueie e ponto final.

Ou caguem ou desocupem a moita!

Instagram
Share.

About Author

Mari Cobra

Colaboradora do Pergunte a uma Mulher. Intolerante à lactose, bem cuzona, nunca disse que sou legal, tenho um coração grande e geralmente tomo na tarraqueta, geminiana e fodidamente indecisa. Apaixonada pela vida e falo muito palavrão.